Cão não suporta as saudades e fugiu para o lar de idosos para ficar perto da dona. Mara Gonçalves Ern, uma idosa brasileira de 74 anos, integrou um lar de idosos e o seu animal de estimação mostrou um comportamento inesperado: ele não aguentou as saudades e também se mudou para a casa nova.

A admissão do cachorro no lar de idosos não foi imediata, mas Bob mostrou toda a persistência de que é capaz: durante 17 dias, ele permaneceu na rua, à frente do quarto da idosa, até que foi finalmente autorizado a conviver com ela.

Bob vivia com Mara desde que era bebé e não gostou que ela tomasse a decisão de se mudar para um Lar de idosos por não se sentir autónoma e não querer ser um peso para a familia. De maneira surpreendente, ele encontrou o novo domicílio da tutora e mostrou-se decidido a viver também no asilo.

A idosa entrou num acordo com a administração do lar de idosos. Bob passou a viver no canil do asilo, onde recebe diariamente a atenção e o carinho da tutora.

Em entrevista ao portal G1, Mara disse que está muito satisfeita: “Não tem dinheiro no mundo que pague o valor do Bob. Já tentaram comprar, mas eu não vendo, não troco nem dou. E também não vou mais deixar o cachorro ficar sozinho”.

A psicóloga que atende no lar de idosos, Bruna Innocenzo, disse: “A proximidade com o animal empresta algumas características da antiga casa da idosa ao novo ambiente. Isto então melhora a auto-estima e confere uma sensação de segurança e estabilidade à tutora. O animal junto à idosa atua como um suporte terapêutico, psicossocial”.