Catarina Furtado recusou o cargo de diretora e programa com o seu nome. A apresentadora afirma que nunca teve a ambição de ser diretora: “Para quê?”

A sua carreira televisiva começou na RTP no início da década de 1990. Em 1993 muda-se para a SIC, onde apresentou o ‘Chuva de Estrelas’. Regressa ao canal do Estado em 2003, onde está há 17 anos.

Em entrevista ao ‘Expresso’, Catarina afirmou que nunca desejou o cargo de diretora de um canal de televisão e que “odiaria” ter um programa com o seu nome, mas mostra-se disponível para “fazer manhãs e tardes”.

“Nunca tive ambição de ser diretora de um canal. Já fui, em tempos, semiabordada para isso e não é de todo uma ambição minha… Para quê? Para ter o poder e chamarem-me de diretora?”, justifica, ao mesmo tempo que admite a dificuldade do cargo: “sei que não é fácil”. Recorde-se que Júlia Pinheiro ou Cristina Ferreira já assumiram essa responsabilidade.

Ao contrário do que acontece com a nova diretora de Entretenimento e Ficção da TVI, Catarina Furtado confessa que “odiaria ter um programa com o meu nome”. Quando esteve na SIC, a apresentadora teve o programa ‘Catarina.com’, mas foi uma opção do diretor da altura. “Os diretores entenderam assim, na altura foi o Manuel Fonseca, e eu não percebia porque é que eu tinha de ter um programa com o meu nome”, justifica.