Cinha Jardim volta a levar estouro de jornalista: “Vive da pequena maldade”, disse Luís Osório.

O jornalista e autor já havia dito o ano passado que É particularmente obsceno ouvir Cinha Jardim, após Cinha afirmar que: Em minha casa não há douradinhos, pretinhos ou escurinhos.

Ontem, ele voltou a arrasar a socialite: Cinha Jardim vive da pequena maldade”. “Cinha Jardim é filha de Jorge Jardim, um homem de negócios da confiança de Salazar. Houve um tempo que até se dizia que o seu pai era o dono de Moçambique. Por isso, Cinha nasceu com a marca do privilégio, disse.

Um dia escrevi sobre ela – por ter chamado “pretinho” a alguém com um chocante tom de superioridade. Achava que não voltaria a fazê-lo, há coisas bem mais importantes do que escrever sobre alguém assim, mas não gosto de pessoas que humilham os outros, que são gratuitamente más, que vivem de ser horríveis, recordou.

Na semana passada, no mesmo programa televisivo da TVI, falou sobre dois miúdos: Margarida Corceiro e João Félix. Depois de, supostamente, os ter visto no Rock in Rio disse assim: “Ela é linda de morrer, muito bonita. Ele é feiinho, ao vivo então é piorzito”.”, referiu.

Nada disto é verdadeiramente grave, mas uma pessoa não se qualifica assim, as pessoas são pessoas não são protótipos virtuais. Não são objetos que se usam e deitam fora. O João tem vinte e dois anos, uma vida à frente e é excecional no que escolheu fazer. É da idade dos meus filhos mais velhos, um miúdo. Como é possível a amoralidade? Mas lá continua e talvez esta gente viva das mensagens de ódio que gera. Talvez seja isso a oferecer-lhes audiência. Caí no engodo, concluiu.