Uma criança com doença rara está há 4 meses no hospital. Quem não arreda pé são os pais de Miguel, Sandra Caeiro e João que desde a descoberta de um cancro – síndrome mielodisplásica não abandonam o filho.

Hospitalizado no IPO de Lisboa tudo tem sido feito para encontrar um dador de medula compatível. A página “Todos com o Miguel”, é dedicada à criança.

A verdade é que apesar de inúmeras pessoas se disponibilizarem a ajudar, não foi encontrado nenhum dador compatível. Assim, a mãe será a dadora, mas esta apenas tem 50% de compatibilidade: “Fiz a colheita da medula em abril, no bloco operatório, e estava tudo combinado para que o Miguel tivesse entrada para transplante logo em abril, uma semana depois da minha colheita. Contudo, entretanto, o Miguel teve uma complicação autoimune e tivemos de tratar primeiro essa complicação o que fez com que só conseguíssemos realizar o processo no final de maio”, disse Sandra à MAGG. 

Depois do primeiro transplante, a 27 de maio, houve uma rejeição total da medula e os médicos apostaram num novo transplante. 

Criança com doença rara

Sandra disse ao mesmo site que: “Neste momento, como o Miguel já tem valores que lhe permitiam ter alta, mantendo as medidas de isolamento, mas que já lhe permitiam ir para casa (só não vai porque estamos a gerir outras complicações), já está a fazer passeios aqui dentro, no corredor. Sempre de máscara, não tem contacto com outros doentes, mas faz o passeio diário no corredor que é uma espécie de fisioterapia. De resto, o Miguel não sai do quarto”.

E continua: “Acho que só quando isto tudo terminar é que me vai cair a ficha porque os dias são sempre tão preenchidos que não há tempo para pensar. Mas eu nunca deixei de acreditar e acredito mesmo que nós vamos superar isto. Tenho a certeza de que o Miguel vai vencer a doença”, diz Sandra.