«Ainda faço da Cristina Ferreira minha deputada», foram algumas das palavras de José Castelo Branco em entrevista à Revista TV 7 Dias.

José Castelo Branc anunciou a sua entrada na política, com a criação da iniciativa MJP – Movimento de Justiça Portuguesa – e intenção de se candidatar às próximas legislativas, marcadas para o dia 6 de outubro.

Os jovens são «o futuro da nação», e como tal José Castelo Branco pretende entrar na política.

O socialite diz abrincar: «Claro que não vou chegar já a primeira-ministra. Vamos com calma!. Vou vestir a camisola e ser a verdadeira Padeira de Aljubarrota.

Tenho estado bastante atento, nestes últimos anos, à realidade nacional e, como estou de fora, vejo muito mais do que acontece em Portugal do que quando estava a viver aí. Comecei a ver tanto, tanto disparate – a história dos professores, a greve dos enfermeiros, os ultimatos do Governo… -, todas estas trocas e baldrocas… Começou a afligir-me tudo.”

Para Castelo Branco a operação stop [N.R.: a Ação Sobre Rodas foi uma operação de fiscalização de condutores cujo objetivo era o de cobrar dívidas fiscais, levada a cabo por 20 elementos da Autoridade Tributária e Aduaneira e 10 da G.N.R. e que acabou por ser suspensa pelo secretário de Estado dos Assuntos Fiscais] foi a gota de água: “Mas o que é isto?! Que barbaridade é esta?! Foi nesse momento que disse: ‘Basta, chega, acabou! Eu vou vestir a camisola e ser a verdadeira Padeira de Aljubarrota’. O meu público são vocês, jovens, dos 18 aos 35 anos.”

Quanto aos políticos, ele não hesita: «Tenho verborreia suficiente para calar essas pindéricas todas. Em vez de estarem a falar, a falar, entrem em ação. Chega de disparates! Portugal é um país lindo, que pode oferecer o melhor, qualidade de vida…

Também tem recebido críticas em relação a esta ideia. Cristina Ferreira, por exemplo, disse que o José «não está bom da cabeça».
A Cristina nem sabe… Eu adoro a Cristina, mas ainda não falei com ela sobre esta ideia.

Questionado se levou a mal a opinião dela, Castelo Branco diz a rir: Não, de todo. No fim, ela até me vai apoiar. Ainda faço da Cristina minha deputada, minha mandatária.”

Créditos: TV7Dias

Partilha