Um enfermeiro decidiu adoptar bebé que foi abandonado na maternidade. Matías Devincenzi, trabalha no hospital da cidade argentina de San Miguel de Tucumán e não hesitou em adotar o bebé recém-nascido que tinha sido abandonado.

O enfermeiro viu o bebé de seu nome Santino pela primeira vez na unidade de cuidados intensivos em fevereiro de 2017.

O bebé já havia nascido há vinte dias, com diversoso problemas de saúde e acabou memso abandonado pela família no próprio hospital. O enfermeiro sentiu afirma que a sua ligação ao bebé foi imediata:

“Ele tinha um problema urinário e malformações nas mãos e pés. Em meados de março, sofreu uma infeção e foi internado nos cuidados intensivos, mas eu não estava lá porque tinha tirado alguns dias de folga”, disse ao jornal argentino “Todo Noticias”.

O enfermeira confessa que ficou encantado com a criança assim que a viu, mas não lhe passou pela cabeça a adopção. Ele pediu ao bebé para abrir os olhos e jurou que se o fizesse, teria ali um pai e uma casa.

“Abriu os olhos e senti que era um sinal. Imediatamente me assumi como pai dele e comecei a averiguar a questão da adoção”, disse.

Matías Devincenzi deu inicio ao processo de adoção, mais tarde aprovado.

“Adotei-o aos 29 anos. Nunca tinha pensado em ser pai, era solteiro, mas durante todo o processo sempre tive a certeza de que nos iam deixar ficar juntos como uma família.

Agora o Santi está muito bem, mas quando mo entregaram tinha sete meses e um atraso de desenvolvimento de cinco. Quase não se movia e não conseguia gatinhar. Entretanto começamos rapidamente com a estimulação precoce e conseguimos reverter a situação”, disse o enfermeiro.

Enfermeiro decide adoptar bebé

Hoje a criança tem dois anos e não possui probelmas de saúde. O pai adotivo sente-se orgulhoso que “uma das primeiras palavras que disse foi ‘papá.

A minha intenção é aumentar a consciência de que há muitas crianças em situações de abandono e que não há nada mais maravilhoso do que dar e receber o amor de uma criança. Peço que incentivem a adoção”, disse em jeito de apelo.