Uma funcionária foi despedida por oferecer almoço a criança de 12 anos. O grande coração de uma mulher acabou por lhe custar o emprego de servir comida na escola de

A escola terminou o contracto de trabalho com Dalene Bowden alegando “justa causa”, uma vez que a mulher distribuiu gratuitamente um almoço a uma menina de 12 anos de idade que estava com fome e não tinha dinheiro para pagar a refeição.

“Eu sei que estraguei tudo , mas o que podemos fazer quando a criança diz que está com fome e não têm dinheiro nenhum”, disse a senhora entristecida.

Irving Middle School enviou a Bowden uma carta a dizer o motivo pelo qual ela foi demitida: “roubar” propriedade da escola.

Uma petição online para que a mulher possa regressar ao trabalho de Bowden já recebeu mais de 38.000 assinaturas.

“Eu não peço desculpas e eu faria exactamente a mesma coisa, independentemente das consequências“, escreveu Bowden na página GoFundMe.

E continuou: “Eu amo meu trabalho. Eu realmente gosto do que faço. Isto quebra o meu coração, e eu provavelmente estava errada, mas o que fazer quando a criança lhe diz que esta com fome, e não têm dinheiro? Entreguei-lhe a bandeja.”

A mulher confessa que sente que: “Eu fui demitida por ter um coração.”

Bowden, diz ser uma sobrevivente do cancro da mama e trabalhava na escola há já três anos. Ela escreveu que no ano passado durante uma montagem, as crianças fizeram-lhe uma ovação em pé quando o seu rosto e nome apareceu no ecrã.

“Isso é provavelmente porque a menina veio a mim quando ela não tinha nenhum dinheiro”, disse ela.

Bowden admite que ela já tinha sido avisada sobre a sua natureza generosa – uma vez que ela tinha dado um miúdo uma bolacha grátis.

Bowden disse que quando ela chegou pela primeira vez em apuros, ela ofereceu-se para pagar o custo de almoço de US $ 1,70 , mas eles recusaram.

A carta de rescisão que Bowden recebeu do distrito escolar diz que o contracto foi rescindido por ela distribuir comida gratuitamente.

Bowden postou a carta no Facebook e escreveu: ”Este carta apenas partea o meu coração“, acrescentando que a escola nem sequer pagou o salário final.