Vitimas de abuso, irmãs mataram o pai à facada. Elas afirmaram que ele as ameaçava de o fazer, pelo que estavam em constante sofrimento.

Mikhail Khachaturyan tinha 57 anos e foi morto pelas filhas estávamos no ano de 2018. Após o crime, elas contactaram a policia e segundo a BBC, ficou confirmado que o pai exercia abusos físicos e psicológicos sobre elas. Cerca de 300 mil pessoas assinaram uma petição para que fossem libertadas já que tinham agido em legítima defesa.

As irmãs mais velhas são acusadas de assassinato e Maria, que na época tinha 17 anos, cumpre pena num hospital psiquiátrico por ser julgada como menor de idade, além de que estavam num estado psicológico instável e sentiam-se desesperadas, temendo pela vida.

A advogada delas afirmou que os exames confirmaram a violência do pai contra as filhas. Os especialistas descobriram que cada uma delas sofria da síndrome de abuso, transtorno de stresse pós-traumático, desde 2014.

Membros da família acusam as mais velhas de mentir sobre os abusos e alegam que o pai foi morto por causa de dinheiro. Olga Khalikova, advogada de um dos parentes de Mikhail, não gostou da conclusão do caso, já que usaram a acusação de que o pai era pedófilo apenas por depoimento das filhas.

Disse que era impossível estabelecer isso como verdade. Uma tia das irmãs chegou a afirmar que a investigação anterior, que contava sobre Mikhail ser pedófilo, não foi baseada em evidências, já que não ficou provado que elas sofreram violência física e emocional.