José Castelo Branco está a fazer campanha para chegar a diretor da TVI. Depois de anunciar uma candidatura às legislativas porque segundo ele porque “tem de haver alguém que trave toda esta vergonha”, o socialite quer agora ser «diretor da TVI».

No seu Instagram o marchand d’art escreveu: «Entrem no Instagram da TVI e comentem em todo os post: ‘Quero o José Castelo Branco diretor da TVI! Partilhem», disse na descrição de um vídeo.

Castelo Branco faz ainda piada afirmando que pode usar «as jóias e as roupinhas» que veste para comprar a estação de Queluz de Baixo. «Se fosse verdadeiro, mas é tudo falso!», refere.

Os seguidores do marido de Betty aderiram ao pedido e já pede para que o socialite seja eleito para o cargo.

Actualmente com 56 anos, Castelo Branco anunciou também recentemente que pretende ter um lugar no mundo da política.

O socialite quer candidatar-se a um cargo e através de um vídeo que partilhou, nas redes sociais, fala fiscalização de condutores com o intuito de cobrar dívidas fiscais, levada a cabo por 20 elementos da Autoridade Tributária e Aduaneira e 10 da Guarda Nacional Republicana, o socialite admitiu a vontade de regressar ao nosso país para se candidatar a um alto cargo político.

«Meus queridos, esta mensagem é expressamente para Portugal. Eu acho que realmente chegou a altura: vou candidatar-me. Preparem-se, porque tem de haver alguém que trave toda esta vergonha que se passa no nosso país, tem de haver uma voz que realmente trave. É vergonhoso! É absolutamente ridículo tudo o que se está a passar», disse José Castelo Branco.

«Não concorda, Betty?», questionou o Conde. A antiga joalheira, de 89 anos, respondeu: «Nunca tinha ouvido uma coisa tão absurda na minha vida».

A polémica Ação Sobre Rodas, que acabou por ser suspensa pelo secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, levou, entretanto, o diretor de Finanças do Porto, José Oliveira e Castro, a colocar o seu lugar à disposição.

«A sua demissão foi prontamente aceite pelo secretário de Estado dos Assuntos Fiscais», informou, em comunicado, o Ministério das Finanças.

Vê o vídeo!