Mãe de Jéssica atirou: “Eles ligavam-me enquanto torturavam a minha filha, para ouvir os gritos dela a sofrer”.

De acordo com informação do Correio da Manhã, a mãe da pequena Jéssica, recebeu inúmeros telefonemas enquanto a menina gritava e pedia ajuda.

A menina 3 anos chorava de desespero e os suspeitos agora em prisão preventiva ameaçavam que a matavam. Inês Tomás confessou à Policia Judiciária que tinha medo que matassem a filha.

Tita e Esmeralda irão permanecer na cadeia de Tires, enquanto Justo irá ficar na prisão anexa à Polícia Judiciária de Lisboa.

O padrasto da menina afirmou estar separado de Inês Tomás, a mãe biológica da criança: “Estamos separados. Ela já está noutra casa. Honrei a menina. Fiz tudo. Mas chega. Foram muitas mentiras.”