Portugal arrecadou 10 medalhas nos Europeus de Atletismo de Deficiência Intelectual e Lenine Cunha voltou uma vez mais a fazer história. O atleta conquistou a sua 200.º medalha e é dos atletas paralímpico mais medalhados do mundo.

O nosso país voltou assim a estrear-se em mais medalhas em provas que vão para além do futebol. Não é apenas num dos “F” de Portugal que Portugal faz conquistas.

Lenine conquistou o bronze nos 60 minutos barreiras e as outras medalhas foram conquistadas nos Campeonatos Europeus de atletismo de pista coberta da Federação Internacional para Atletas com Deficiência Intelectual (INAS).

Após a conquista da ‘prata’ no triplo salto e no pentatlo, Lenine conseguiu a sua 200.ª medalha em provas internacionais com o ‘bronze’ nos 60 metros barreiras, antes de somar a 201.ª e 202.ª no salto em comprimento e na estafeta, acompanhado por Carlos Freitas, Carlos Lima e Sandro Baessa, informação dada pela a SIC Notícias.

Já Carina Paim que venceu o Europeu 2018 tornou a ser medalha de Ouro, desta vez em pisca coberta.

Ana Filipe terminou em primeiro lugar nos 60 metros barreiras. Sandro Baessa ganhou o bronze nos 400 metros e estafeta 4×200. Afonso Rol foi vice-campeão dos 3.000 metros marcha e na mesma modalidade Joana Silva foi medalha de bronze na prova feminina.

Só no primeiro dia, dos 11 atletas, foram quatro medalhas conquistadas.

Marcelo Rebelo de Sousa já felicitou a delegação portuguesa. “O Presidente da República felicita os atletas portugueses nos Campeonatos Europeus de atletismo de pista coberta, da Federação Internacional para Atletas com Deficiência Intelectual (INAS), e onde já obtiveram numerosas medalhas, incluindo de ouro e de prata, demonstrando mais uma vez as suas capacidades e dedicação”.

Partilha