Meghan Markle e Harry renunciaram privilégios reais por independência. A decisão veio à tona logo depois que o casal passou o fim de ano no Canadá.

O casal disse que pretendem trabalhar e tornarem-se financeiramente independente da coroa britânica: “Após muitos meses de reflexão e discussões internas, optamos por fazer a transição neste ano, começando a desempenhar um novo papel progressivo dentro desta instituição”, dizia o anúncio, partilhado na rede dos duques de Sussex, cuja comemoração das festas de fim de ano aconteceu no Canadá.

Harry e Meghan afirmaram que planeiam criar o filho em solo britânico e norte-americano, aumentando o número de viagens para os Estados Unidos e Canadá, onde Meghan passou a sua infância. “Esse equilíbrio geográfico nos permitirá criar o nosso filho com uma apreciação pela tradição real em que ele nasceu, além de proporcionar à nossa família o espaço para se concentrar no próximo capítulo, incluindo o lançamento de nossa nova entidade beneficente”, disseram.

Anteriormente, os dois já haviam se mostrado insatisfeitos com a abordagem da imprensa britânica: Harry chegou a citar a mãe, Diana, ao sair em defesa da mulher.

Meghan e Harry agradeceram ainda a colaboração dos demais membros da realeza diante da decisão. “Esperamos ansiosamente compartilhar todos os detalhes deste emocionante próximo passo no devido tempo, enquanto continuamos a colaborar com Sua Majestade, a Rainha, o Príncipe de Gales, o Duque de Cambridge e todas as partes relevantes. Até lá, aceitem nossos mais profundos agradecimentos por seu apoio contínuo”, referiram os dois.