Um menino pediu ‘milho’ ao Pai Natal para o seu cavalo. Fim de ano, Natal a aproximar-se e nada mais natural para uma criança do que pedir presentes para o Pai Natal.

Boa parte das crianças costumam pedir brinquedos, roupas, e até um notebook novo. No entanto, um menino de 11 anos surpreendeu os colegas e professores ao pedir algo muito mais singelo: dois sacos de milho para alimentar o seu cavalinho, entre outras coisas.

Pedro Zilch divide as responsabilidades domésticas com os irmãos – Isidor, de 7 anos e Mateus, de 14 – e o pai, Isidor Renê Zilch, que trabalha colhendo fumo em Passo do Sobrado.

Todas as manhãs, Pedro participa das atividades do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, promovidas pela Associação de Projeto Educacional e Social para Crianças e Adolescentes (Aesca) no turno inverso aos estudos – ele frequenta o terceiro ano da Escola Harmonia.

Singelo pedido de Natal

Durante uma dessas atividades, a inocência misturada à maturidade precoce do menino vieram à tona e chamaram a atenção da recreadora Roriane Peres Chagas.

“Foi-nos proposto que organizássemos com as crianças a produção de cartinhas para o Pai Noel, que a Philip Morris iria apadrinhar. As crianças pediram inúmeras coisas, como roupas, ténis, brinquedos, mochilas e materiais escolares diversos. No entanto, a carta do Pedro não pedia presentes, mas sim materiais para atender às necessidades da sua família e do seu cavalinho”, disse a recreadora.

menino pediu ‘milho’ ao Pai Natal

Na carta escrita à mão, Pedrinho pede dois sacos de milho, um pelego, uma rede de pesca, um saco de bolitas e um “telefone de mexer no ecrã”.

“Os sacos de milho quero dar para o Gateado. O pelego é para poder montar de forma mais fácil, e quero tirar fotos dele com o telefone. O saco de bolitas é para dar ao meu irmãozinho, e a rede de pesca é para ir com o meu pai pescar no açude”, explicou Pedro ao portal Gazeta do Sul.

Os inocentes pedidos do menino repercutiram enormemente nas redes sociais. Tocada pela carta, Roriane repassou o conteúdo aos seus parentes, que possuem forte ligação com o tradicionalismo. “Eles se comoveram com os pedidos do Pedro e começaram a encaminhar para vários grupos de WhatsApp, de modo que viralizou”, afirmou.

Segundo Veridiana Knod da Rocha, coordenadora do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos do Beckenkamp, várias empresas da região demonstraram interesse em atender aos pedidos do jovem.

“Ainda estamos a ver as cartas de todas as crianças para enviar à Philip Morris, sobretudo os tamanhos das roupas que pediram. No entanto, diante da repercussão da carta do Pedro, muitas doações já estão a ser encaminhadas”, ressaltou.

Créditos: Razões para Acreditar