Nem tudo é perda. Às vezes, é só a vida a livrar-te de problemas. Tu não perdeste nada, na verdade, tiveste um livramento.

Nós achamos que estamos a perder muito com a partida de alguém, quando estamos de facto libertos de algo que não nos faria bem, de algo que não era sincero, verdadeiro e que tinha pouco, muito pouco para nos oferecer.

Podes até ver com esses olhos. Mas não foi, porque algumas perdas são, na verdade, livramento. Sabes quando conheces alguém que te parece boa pessoa? Aquela pessoa que veste uma máscara só para conquistar? E conquista? Nós nos enganamos e, com a sua partida, sentimo-nos ainda mais enganados porque, no fundo, tínhamos esperança de estar errados. Então vem aquele sentimento de sempre nos enganarmos com as pessoas, de não conseguir encontrar alguém legal, que valha a pena.

És muito mais que um adeus.
Não sei como estão as tuas desilusões amorosas, eu só sei que és muito mais do que esse adeus que ganhaste. Não penses que foi perda, porque não foi. Podes até te sentir assim, e eu entendo, mas não duvides do teu valor.

Pessoas intensas demais não são para todos. A maioria se acomoda com a mornidão, gosta do mais ou menos e adora jogos de interesse. Essa tua maturidade e a forma serena com que encara as relações o afastam de quem não está preparado para ter alguém tão incrível como tu.

Pensa nisso, nem tudo é perda, às vezes, é só a vida a livrar-te de problemas.

Créditos: Thamilly Rozendo (adaptado)