“O meu medo é morrer sem ninguém sentir a minha falta”, desabafou Marco Costa a Bernardo Sousa e Fernando Semedo: Eu vou tentar aproveitar a minha vida, porque um gajo vive e não viveu. Há uma diferença em viver e estar vivo, disse.

e continuou: Eu quero-me sentir especial, por isso é que eu digo que o meu medo é morrer sem ninguém sentir a minha falta, confessou.

O pasteleiro acrescentou ainda que: Não é que eu não esteja bem sozinho, mas eu preciso de sentir que sou importante para alguém, porque toda a minha vida é em função de alguém. Eu vivo para alguém, acrescentou.

Podes ver o vídeo aqui.