Pessoas com mais de 40 anos deveriam trabalhar apenas 3 dias por semana, aponta estudo. Um estudo australiano realizado pelo Instituto de Economia Aplicada e Investigação Social da Universidade de Melbourne publicado em 2016 concluiu que as pessoas com mais de 40 anos saem-se melhor no âmbito profissional se trabalharem apenas três dias por semana.

Nesse estudo, 3500 mulheres e 3000 homens trabalhadores, aposentados e desempregados foram analisados através de um teste cognitivo, que revelou seus hábitos. O teste consistia em os participantes lerem em voz alta, falarem uma lista de números por ordem decrescente e associarem letras e números num limite de tempo preestabelecido.

O professor Colin McKenzie da Universidade de Melbourne, autor do estudo, afirma que “conhecer” e “pensar” são indicadores significativos. Os testes de leitura são o elemento “conhecedor” da capacidade, e a parte do “pensamento” compreende o raciocínio da memória, a execução e a abstração.

Após o teste, a constatação foi de que as pessoas que trabalham 25 horas por semana saem-se muito melhor do que as que trabalham 55 horas.

Em entrevista ao jornal britânico The Times, McKenzie disse que muitos países procuram elevar a idade da aposentadoria, dessa maneira, fazendo com que as pessoas trabalhem mais tempo, porque só poderão reclamar seus benefícios quando a velhice chegar.

Os pesquisadores do estudo escreveram que “o trabalho pode ser uma faca de dois gumes. Estimula a Actividade cerebral, mas, em longas horas e em uma série de funções pode causar fadiga e stress, o que pode potencialmente danificar as funções cognitivas”.

Eles também reforçam a ideia de que a diferença nas horas de trabalho conforme o avanço da idade é importante no sentido de manter a capacidade cognitiva funcionando bem até que os trabalhadores fiquem idosos.

Créditos: O Segredo

Partilha