Rita Blanco arrasa aficionados por touradas: “O homem vai porque quer, o touro não”, disse revoltada quando ouve a desculpa da “tradição”.

À PiT ela começou por dizer: “Qual tradição? As tradições mudam e evoluem. Senão, estávamos na idade da pedra (…) Tenho muita pena de não ter percebido isto muito antes. Teria evitado algum sofrimento”.

A atriz tem, no entanto, uma esperança: “Acredito que hão de evoluir, ao ponto de perceberem que há coisa que já não são possíveis”, afirmando que para si, a tourada não passa de “um negócio como outro qualquer, em que há pessoas a ganhar dinheiro com ele”.

A artista não consegue entender como o homem pode “ter prazer com o sofrimento de outros seres. Ali, não há um mano-a-mano. Porque o toureiro vai lá porque quer. O touro não. Nenhum touro diz: ‘Olha, vou ali um bocado ser toureado e já volto’“, afirmou com ironia, acrescentando que “nenhum touro quer ser humilhado”: “Vamos é acreditar que serão rápidas a percebe-lo”.

A actriz vai ainda mais longe ao afirmar que: “Se o tráfico humano é crime, o dos animais também devia ser. Tal como as crianças não devem poder ser compradas, os animais também não. São seres vivos (…) É uma violência e disparate. Os animais são obrigados a reproduzirem-se e não faz sentido nenhum”.

Rita Blanco conclui considerando indecente quando lhe perguntam se gosta mais deles do que dos humanos: “Não é isso. No dia em que as pessoas deixarem de ser capazes de fazer mal aos animais, garanto que também deixarão de fazer mal às pessoas”, frisou junto da NiT.