Solteira sim, sozinha apenas quando eu quero. Sim, eu estou solteira e precisas ser alguém muito especial para conseguir mudar isso.

É tão simples, mas as pessoas têm dificuldade de aceitar essa situação. Vez ou outra insistem em inventar nomenclaturas para o meu momento. “Encalhada”, “solteirona”, “pra tia”… A criatividade vai longe na hora de apontar o dedo.

Por mim está tudo bem. Se esses nomes representam uma mulher feliz e satisfeita com a sua vida atual, então essa sou eu. O que me parece é que muita gente se incomoda ao se deparar com alguém solteira e feliz.

O que elas não entendem é que estar solteira também pode ser uma opção. Acredito que tudo é uma questão de grau de exigência. A pessoa quando quer muito ter um relacionamento acaba por passar por cima das próprias vontades e se dispõe a aceitar alguém que está numa sintonia totalmente diferente da sua.

Sejamos sinceros, a verdade é que uma grande percentagem das pessoas comprometidas de hoje em dia tem um relacionamento da porcaria. Sabes aqueles casais que todos percebem que se esforçam demais para dar certo? Aqueles que olhas e te perguntas: até quando será que eles vão conseguir suportar?

Eu não quero isso para mim. Não sou hipócrita de dizer que não bate uma certa carência às vezes. Isso é natural. Mas daí para sair por aí desesperada aceitando um relacionamento que me dê mais dor de cabeça do que alegrias, aí não. Eu passo. Deixa-me aqui tranquila a beber o meu vinho e a assistir aos meus programas preferidos.

Deixa-me com as minhas amigas malucas e as minhas viagens inesquecíveis. Deixa-me com a minha paz de espírito e a minha liberdade de escolha. Não, eu não fujo de um novo amor. Não tenho medo de me apaixonar novamente. Eu não tranco as portas da minha vida.

Simplesmente aprendi a aumentar o critério de exigência sobre quem merece entrar por elas. Olha, se estás a ler este texto agora está comprometida e feliz, os meus parabéns! Isso é realmente muito bom. Agora, se estás aí a matar-te aos poucos por um sentimento que já morreu, eu quero te lembrar que ainda dá tempo de ser feliz. A vida é curta demais para ficares aí a sofrer por um amor meio bosta.