Ter irmã faladora tem efeito antidepressivo, aponta pesquisa. Conviver com irmãos tem um grande impacto na vida de uma pessoa: ao lado de deles, crescemos e passamos a maior parte da nossa infância.

Sem dúvida, uma irmã ou irmão podem ser considerados partes fundamentais da existência humana. Sem eles, tudo seria diferente.

Laura Padilla-Walker, professora da Universidade Brigham Young, nos Estados Unidos, investigou a influência que tem um irmão e também os pais na vida de um indivíduo. “As crianças concedem algo a mais que os pais não podem dar”, analisa a pesquisadora em artigo publicado no Science Daily.

As conclusões dos vários estudos mostraram que ter um irmão, era um elemento protetor – as crianças se sentiam menos solitárias ou com medo.

Segundo os cientistas, ter um companheiro de brincadeiras em casa é muito importante e pode até ser superior à influência dos pais.

Além disso, a pesquisa mostrou que os sentimentos de bondade e generosidade são assimilados mais com um irmão do que com um adulto. “Para os pais de crianças pequenas, a mensagem é estimular o afeto entre os irmãos”, refere a professora Padilla-Walker,

A partir destas descobertas, surgiu algo interessante: embora os irmãos de ambos tivessem o fcator de protecção marcante, uma irmã trazia um efeito antidepressivo maior, de acordo com os pesquisadores.

O estudo sugere que isso acontece porque as mulheres são mais propensas a falar. Essa habilidade comunicativa é um ponto positivo para as emoções.

Para além disso, ter uma irmã preserva os adolescentes de se sentirem solitários, não amados, culpados ou com medo neste caso, não importou o facto da irmã ser mais velha ou mais nova – e nem mesmo o nível de proximidade entre eles.

Créditos: VIX