Um tetraplégico fez tratamento com células estaminais e recuperou movimentos. Kristopher Boesen viu a sua vida a mudar drasticamente ao ter ficado tetraplégico após sofrer um acidente de viação no qual o seu carro se despistou e embateu contra uma árvore e um poste de luz.

Sem conseguir mexer o corpo do pescoço para baixo, os médicos disseram que ele poderia mesmo nunca recuperar os movimentos.

Felizmente, a medicina têm avançado a passos largos, e por isso foi proposto a Kristopher um tratamento experimental que usa células estaminais para a reparação do tecido nervoso danificado.

Tetraplégico faz tratamento com células estaminais

Apesar deste novo tratamento não garantir que o jovem recuperasse a sua mobilidade, Kristopher decidiu correr o risco – e ainda bem!

Assim sendo, Dr. Liu, o médico responsável pelo tratamento, injetou 10 milhões de células AST-OPC1 diretamente na medula espinhal cervical de Kris. Segundo este, as células em questão são retiradas de óvulos doados que são posteriormente fertizados em laboratório.

“Normalmente, os pacientes com lesão da medula espinhal passam por uma cirurgia que estabiliza a coluna, mas faz muito pouco para restaurar a função motora ou sensorial. Com este estudo, estamos a testar o procedimento que pode melhorar a função neurológica, o que poderia significar a diferença entre estar permanentemente paralisado e poder usar os braços e as mãos. Restaurar esse nível de função pode melhorar significativamente o dia a dia de pacientes com lesões graves na coluna vertebral.”, disse Dr. Liu.

Em apenas três semanas, Kristopher melhorou significativamente, sendo que em apenas dois meses este já começou a ser capaz de atender o telefone, escrever o seu nome e operar uma cadeira de rodas.

Tetraplégico faz tratamento com células estaminais

Com este tratamento inovador, Kris recuperou dois níveis de cordas espinais, o que fez uma enorme diferença nas suas habilidades de movimento.

“Tudo o que eu queria desde o começo era uma chance de lutar … Mas se há uma oportunidade para eu andar de novo, então sim! Eu quero fazer o possível para fazer isso”, disse Kris.

Os médicos pretendem continuar este tratamento experimental de forma a tentar melhorar os seus resultados e quem sabe até recuperar completamente os seus movimentos.