O primeiro transplante de rim de porco foi um sucesso em paciente humano. O rim do animal não foi rejeitado pela paciente americana que se encontra em estado critico.

Tudo aconteceu no Langone Health, da Universidade de Nova York (NYU), onde os genes do porco foram alterados para que os seus tecidos não contivessem mais uma molécula conhecida por provocar uma rejeição praticamente imediata.

A recipiente do transplante foi uma paciente com morte cerebral com sinais de disfunção renal e cuja família consentiu a experiência antes que ela fosse retirada dos equipamentos de suporte à vida, afirmaram os pesquisadores à Reuters.

Por três dias, o novo rim foi ligado às suas veias e artérias sanguíneas e mantido do lado de fora de seu corpo, garantido acesso aos pesquisadores.

Os resultados do teste de função do rim transplantado “pareciam bem normais”, disse o cirurgião do transplante, Robert Montgomery, que liderou o estudo.

O rim produziu “uma quantidade de urina esperada” a partir de um rim humano transplantado, disse, e não houve evidências de rejeição vigorosa e quase imediata que já foi vista em rins suínos não modificados que foram transplantados para primatas não humanos.