Pobreza em Portugal: um terço dos portugueses são trabalhadores, revela um estudo estudo ‘Pobreza em Portugal – Trajectos e Quotidianos’, da Fundação Francisco Manuel dos Santos (FFMS).

De acordo com os dados analisados, em 2018 cerca de um terço das famílias monoparentais e das famílias com dois adultos e três ou mais crianças estavam em situação de pobreza. “Em 2018, quase metade dos desempregados viviam numa situação de pobreza”, aponta o sumário da FFMS.

Várias pessoas entrevistadas no estudo reportam-se ao passado: “Tínhamos fartura, sopa e pão não nos faltavam. Tínhamos mimos, tínhamos tudo isso”, conta uma idosa de 72 anos, de Montalegre. Há também casos de sofrimento pessoal cruzado com pobreza material. “O meu padrasto bateu muito na minha mãe. Sofri muito nessa altura. Lembro-me de deixarmos cair um cabelo no prato e ele batia logo na minha mãe”, revelauma entrevistada de Aljustrel, de 43 anos.

Para os autores do estudo “é possível identificar, para a maioria dos entrevistados, um processo de reprodução intergeracional da pobreza”, ou seja, quem é pobre já nasceu ou cresceu num contexto de privação. Uma situação que condiciona “as oportunidades de vida, nomeadamente contribuindo para antecipar a saída da escola e a entrada no mercado de trabalho, ingressando em empregos pouco qualificados”.